We're sorry but this app doesn't work properly without JavaScript enabled. Please enable it to continue.
Skip to main content

Visitas guiadas

Exposições
Visitas Guiadas
Preço:
DATAS 14 e 28 de abril de 2024 5 de maio de 2024 Participação gratuita, limitada a um número máximo de 20 participantes, mediante reserva de bilhete junto da Bilheteira do Convento São Francisco.
14 abril | 15:30
Arquiteto Bruno Gil

Bruno Gil é arquiteto e Professor Auxiliar no Departamento de Arquitetura da Universidade de Coimbra (DARQ-UC), onde é docente nas áreas de Teoria e História. É subdiretor do Colégio das Artes da Universidade de Coimbra, coordenador principal e investigador do Centro de Estudos de Arquitetura – do Território ao Design (CEARQ-TD) e foi co-coordenador do projeto "(EU)ROPA – Rise of Portuguese Architecture”, sediado no Centro de Estudos Sociais, onde desenvolveu o seu pós-doutoramento. É coordenador da e|d|arq, editorial do DARQ-UC, e da revista "JOELHO – Journal of Architectural Culture”.
Com uma abordagem cultural ao ensino e à investigação em arquitetura, ao visar simultaneamente as especificidades dos seus lugares e as redes de transferência de conhecimento, escreveu artigos para publicações como "Footprint: Delft architecture theory journal”, "arq: Architectural Research Quarterly”, "Docomomo Journal”, "Writingplace Journal”. Em 2017, concluiu a sua tese de doutoramento intitulada "Culturas de Investigação em Arquitectura: Linhas de pensamento nos centros de investigação, 1945-1974”, distinguida com o Prémio Nuno Teotónio Pereira.


28 abril | 15:30
Arquiteto Carlos Martins

Carlos Martins é arquitecto e professor auxiliar no Departamento de Arquitectura da Universidade de Coimbra, sendo atualmente coordenador de um Atelier de Projecto no Mestrado Integrado em Arquitectura. Licenciou-se na Universidade do Porto em 1986 e exerceu a profissão liberal durante duas décadas, com escritório próprio e em colaboração com o arquitecto Fernando Távora (1986-2002). Doutorou-se na Universidade de Coimbra com uma tese sobre obras públicas em Portugal no final do século XVIII, que foi distinguida com o Prémio Internacional de Investigação Pina Manique pela Academia Portuguesa de História (2017). Foi comissário adjunto da exposição "Fernando Távora Modernidade Permanente” coordenada por Álvaro Siza para a Guimarães 2012, Capital Europeia da Cultura. Fez parte da comissão organizadora do evento "Távora”, exposição de projetos e desenhos de Fernando Távora integrado na Coimbra 2003, Capital Nacional da Cultura. Os seus principais interesses de investigação incluem os processos de transformação do espaço urbano nos séculos XVIII e XIX, com particular ênfase na relação entre as políticas de desenvolvimento territorial e a prática da engenharia militar.


5 maio | 15:30
Arquiteto José António Bandeirinha

José António Bandeirinha é arquitecto pela Escola Superior de Belas-Artes do Porto (1983). É professor catedrático do Departamento de Arquitectura da Universidade de Coimbra, onde se doutorou em 2002 com uma dissertação intitulada O Processo SAAL e a Arquitectura no 25 de Abril de 1974. É investigador do Centro de Estudos Sociais. Foi Director do Departamento de Arquitectura da Universidade de Coimbra entre 2002 e 2004; entre 2006 e 2007 e entre 2017 e 2021. Foi Pró-Reitor para a Cultura da Universidade de Coimbra (2007 a 2011). Foi Director do Colégio das Artes da Universidade de Coimbra (2011-2013). Foi Comissário da Exposição Fernando Távora Modernidade Permanente, cujo coordenador foi Álvaro Siza, integrada em Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012. Foi Consultor Científico da Exposição O Processo SAAL Arquitectura e Participação 1974-1976, comissariada por Delfim Sardo e organizada pelo Museu de Arte Contemporânea de Serralves em colaboração com o Canadian Centre for Architecture, Montréal, Canadá. (2014-2015). Orientou dezanove dissertações de doutoramento e três investigações de pós-doutoramento. Tem dedicado os seus estudos à teoria da arquitectura e da cidade, centrando-se, no essencial, sobre as consequências urbanas e arquitectónicas das práticas políticas.


FERNANDO TÁVORA. PENSAMENTO LIVRE é uma exposição sintética da vida e obra do Arquiteto Fernando Távora, que procura retratar a personagem, a sua vastíssima cultura, o seu método de trabalho, a forma como usou o Desenho e a História na prática projetual, e de como as suas aulas foram fundamentais para sucessivas gerações de estudantes entenderem o que é a Arquitetura e o seu exercício profissional. Não tem, no entanto, qualquer intenção de se aproximar de uma mostra retrospetiva. Com o objetivo de consolidar uma primeira escolha das obras a expor, visitámos, já com um sentido mais crítico, alguns dos edifícios desenhados por Fernando Távora, por forma a que estivesse garantida a consideração a uma problemática alargada, da construção de raiz à reutilização patrimonial, presente no conjunto da sua obra. E assim fomos ver o Mercado da Feira (1953/1959), revisitámos a Casa de Ofir (1957/1958), passeámos na Quinta da Conceição e subimos ao Pavilhão de Ténis (1956/1960), percorremos a Escola do Cedro (1957/1961), voltámos à Pousada da Costa (1972/1985), passámos pelo Anfiteatro da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra (1993/2000) e, finalmente, entrámos na Casa dos 24, antigos Paços do Concelho do Porto (1995/2003). Para o título, pensámos inicialmente em Livre Pensamento. O movimento com este nome, emergente da Revolução Francesa, sustentava a convicção de que todos os fenómenos devem ser explicados a partir da ciência, da lógica e da razão. No entanto, os modernistas da Geração do Orfeu foram bem mais longe, não considerando nenhum limite para o seu pensamento, admitindo sem problemas de coerência todas as condições, mesmo as que se afastam da razão. Não são "livres-pensadores”, são cidadãos com um pensamento livre. É com eles que Fernando Távora se identifica, e cuja obra coleciona atenta e apaixonadamente, como que procurando uma solidariedade para a sua heterodoxia. Por essa razão, firmou-se para esta exposição o título FERNANDO TÁVORA. PENSAMENTO LIVRE.


Ficha Artística / Técnica
Curadoria: Alexandre Alves Costa (coordenador), Ana Alves Costa, Jorge Figueira, José António Bandeirinha, Luís Martinho Urbano e Maria Manuel Oliveira
Curadorias Temáticas: Ana Tostões – Referências, Sergio Fernandez – Viagens, Domingos Tavares – Tratados, Celeste Natário – Literatura Modernista e Manuel Correia Fernandes – Aulas
Fotografia: Paulo Catrica
Design Expositivo: João Mendes Ribeiro, com Filipe Catarino e Catarina Fortuna
Design Gráfico: FBA./Daniel Santos e João Bicker
Produção: Luís Martinho Urbano, Paula Abrunhosa, João Ferreira Alves e Hugo Oliveira
Produção da Exposição em Coimbra: Bruno Gil (DARQ), Luís Miguel Correia (DARQ), Martinho Araújo (DARQ), Filipe Carvalho (CMC), Márcia Carvalho (CMC) e Maria Carlos Pêgo (CMC)
Documentação: Conceição Pratas, Ana Ramos, Guilherme Gouveia e Adriana Martins
Conservação e Restauro: Ana Freitas
Sessões passadas
14 Abr15:30
-
05 Mai15:30
Convento São Francisco